Transformação Digital: como sair do conceito e ir para a prática

Transformação Digital: como sair do conceito e ir para a prática

  • 2
  • 8 de Maio de 2017

A transformação digital está essencialmente relacionada ao seu modo de pensar

É com essa frase que desejo discorrer sobre o que é essa transformação e qual é a sua real importância. Em suma, ela é a união das tecnologias digitais, liderança, valores, comportamentos e experiências que ajudem a impactar, fundamentalmente, todos os aspectos de um negócio e da sociedade.

Formulários e documentos em papel se tornaram formulários eletrônicos, PDFs e páginas HTML; o dinheiro em bits; os registros de transações de vendas e as faturas se transformaram em automação de vendas através de robustos ERPs. Em sua essência todos estes exemplos se mantiveram intactos, só que agora digitais. Porém, a adoção destas tecnologias não significa que você está digitalmente transformado, mesmo se você for “digitalizado”.

A transformação digital – dentro de uma empresa – é um ecossistema que torna tênues as linhas entre parceiros, clientes, colaboradores e a estratégia da companhia – logo, o dia a dia operacional é fortemente influenciado por este ecossistema, criando o jeito de ser de uma empresa.

O importante papel dessa transformação – primordialmente cultural – é o quanto isto transforma a relação da sua empresa com o mercado e com as pessoas. Menos hierárquica e com mais responsabilidade nas pontas e uma inteligência decisória menos centralizada, seu negócio se torna mais voltado ao mercado sem prejudicar a sustentabilidade da sua estratégia no longo prazo.

É notório que empresas que adotam uma cultura digital são mais ágeis e experimentadoras – sem comprometer o planejamento de longo prazo. Ela nasce fundamentalmente dos gestores – e principalmente do CEO. Essa mudança cultural demanda a visão clara de que o futuro é a continuação, ininterrupta, do presente.

Seja qual for a visão de futuro da sua companhia, como sair do conceito e ir para a prática em algo que parece tão distante?

Em uma empresa, todo e qualquer anseio, aspiração, visão ou posicionamento para serem tirados do papel e irem à prática necessitam de preparo e planejamento. Ou seja, identificar e eleger os responsáveis, conhecer e entender os requisitos, estabelecer marcos e datas de controle, planejar atividades e buscar ajuda – inclusive escrevi um artigo sobre como contratar parceiros usando a empatia – são os principais pontos que colaboram para a realização de um projeto.

E não poderia ser diferente quando o assunto é a transformação digital, logo, você deve estar se perguntando como sua empresa pode se preparar e qual deve ser o objetivo final deste projeto.

Pois bem, antes de mais nada, a transformação digital não possui necessariamente um marco final, pois sua essência diz respeito à transformação do core de uma empresa – o jeito de ser e fazer as coisas, de forma contínua e insistentemente melhorada.

Com o propósito de tornar prático o conceito, usarei como exemplo o gráfico da consultoria global A.T. Kearney, que mostra os estágios que compõem o caminho para a transformação digital de uma empresa:

Transformação digital de empresas

Caminhos para a transformação digital de uma empresa. Fonte.

Observe na imagem que ser digital começa com um desejo e, consequentemente, o tratamos como um projeto – e como todo projeto precisamos definir objetivos, marcos e entregas. Ou seja, o primeiro impulso muitas vezes é tático e operacional – e de uma maneira reativa – onde são elencados todas as ações que possam dar essa roupagem digital para a empresa.

E como adotar uma tecnologia digital não necessariamente a transforma – se você quiser refletir mais sobre o assunto, recomendo ler: ser digital não é ser tecnológico – o ideal é ter o entendimento que a coloca, ao menos, no caminho do que é ser digital.

“Adotar uma cultura digital como modo de ser é o estágio para onde qualquer estratégia de transformação do negócio deve mirar”.

Muitas vezes nos concentramos na otimização e projetos de transformação digital pensando de forma muito isolada e com ações mirando o curto prazo. Na prática, se quisermos tornar a maneira como trabalhamos mais colaborativa e ágil, o projeto deve envolver a busca de atitudes e soluções que fomentem essa nova maneira de trabalhar. Ou seja, quais são os processos do dia a dia que suportam, minimamente, essa cultura digital?

Afinal, como de fato dar os primeiros passos práticos?

1. Crie o ambiente adequado que favoreça o digital

2. Conquiste a liderança ou torne-se o líder dessa transformação

É fato que essa iniciativa, quando nasce dos gestores da empresa – essencialmente do CEO -, tudo tende a evoluir com menos resistência. Entretanto, se você é um dissidente construtivo, saiba que há grandes chances de você conseguir dar os passos certos com a devida orientação – para isso te indico este artigo aqui sobre como transformar digitalmente sua empresa.

3. Adote uma estratégia com passos claros

Sabemos que há muito para digerir e absorver, dadas as decisões estratégicas a serem tomadas quanto à pessoas e processos, tecnologia e operações. Além, é claro, do próprio marketing e da área de vendas, e sobretudo no próprio modelo de negócio. Com isso sugiro um checklist que deve permear todas as áreas da empresa:

  • Digital como parte da estratégia de negócio: ao pensar a estratégia você deve ter um pensamento digital first;
  • Eleja os responsáveis: quem toma as decisões e dentro de qual estrutura?
  • Faça um diagnóstico: qual é a cultura atual e onde ela precisa estar? (É ágil e interativa ou lenta e isolada?)
  • Promova conhecimento e reciclagem: como as pessoas são treinadas?
  • Observe seu arsenal: como está sua infra-estrutura tecnológica?
  • Oriente sua empresa ao cliente: como você visualizar o ciclo de vida do cliente? Como você se relaciona com seus clientes? Quem são seus clientes hoje?

4. Tecnologia para escalar e não para burocratizar

Quantas vezes no chamado “processo de modernização” da sua empresa, você se deparou com soluções que mais atrapalharam do que ajudaram? Pois bem, a tecnologia eleita para de ajudar neste processo deve ser amigável e não criar barreiras.

5. Growth Hacking como cultura de experimentação

Growth Hacking é a metodologia que tem como base experimentação contínua, sempre buscando encontrar oportunidades de melhorias com potencial de resultado.

Portanto, as novas profissões – ou novas terminologias – exigem um time de Recursos Humanos também alinhado com este novo mercado, como pontuei anteriormente. Quais são os talentos e as habilidades necessários para estruturar equipes capazes de transformar digitalmente sua empresa?

6. Use os processos a seu favor e os aperfeiçoe

Utilize os processos já existentes e insira novas atividades que reforcem – operacionalmente – a cultura digital.

Você deve ter notado que este é um movimento relativamente complexo, mas muito importante para o futuro da sua empresa. E para concluir esse artigo eu lhe pergunto: Qual é preço de não executar uma estratégia e o quanto isto pode impactar a sobrevivência da sua empresa?

Avalie nosso artigo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
3 voto(s)
Carregando...

Leave a Reply

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o