Você tem certeza de que trabalha em prol dos resultados no seu dia-a-dia?

Você tem certeza de que trabalha em prol dos resultados no seu dia-a-dia?

  • 3
  • 23 de outubro de 2017

Penso que um bom caminho para se atingir um resultado seja do fim para o princípio.

Você pensa no resultado que deseja, que é a parte relativamente fácil, e na sequência pensa do fim para o começo quais são os passos a serem dados. Parece simples escrevendo assim, mas isso ajuda a entender o quão complexo deverá ser o planejamento, que portas terão que ser abertas e as intersecções necessárias para que o todo funcione.

Iniciar um projeto de maneira superficial, sem considerar a linha estratégica e os processos, não é a pior coisa que se pode fazer. É bem possível, inclusive, que o resultado pensado seja obtido sem muito planejamento, mas certamente o caminho até lá será bem mais trabalhoso do que o necessário.

Pensando em um exemplo trivial, imagine que você quer ir morar sozinho. Você guarda dinheiro, faz todas as contas e consegue comprar ou alugar uma casa e mobiliar minimamente. Mas o que não ficou claro é que esse planejamento teve como objetivo ter uma casa – que talvez seja o maior obstáculo considerando essa situação -, mas morar sozinho implica muito mais do que ter uma casa. Muitas vezes é isso o que acontece. Nos detemos em questões que são sim importantes, mas esquecemos que resolvê-las não é o objetivo que nos levou até aquele ponto.

Mas voltando ao exemplo: quando você muda, percebe que existem pequenas coisas que não pareciam importantes, mas no dia a dia, fazem muita diferença. Planejar do fim para o começo nos ajuda a considerar essas pequenas coisas que costumam influenciar no tempo e no trabalho gasto. Sem se planejar, você perceberá, quando precisar abrir uma lata, que não tem um abridor; ou que não tem roupa de cama suficiente, ou que o seu repertório na cozinha é muito pequeno e as chances de você desenvolver um déficit nutricional são grandes. Mil possibilidades, porque transpor as dificuldades faz parte, mas não é o objetivo final.

A questão aqui é definir uma estratégia, planejar e pensar os processos que vão te levar até o objetivo traçado e pensar esse roteiro de maneira que as dificuldades pelo caminho não acabem virando o foco por muito tempo, pois assim a meta maior pode se perder no fazer, no dia-a-dia.

O ideal é que a estratégia – que é conjunto de movimentos que te levam de um ponto ao outro – considere quais são os recursos reais que estão disponíveis, e fazendo isso identifique os gaps (podem ser processos, pessoas, budget, etc), e que o planejamento contemple esses movimentos. (Para que você consiga colocar isso em prática vou deixar aqui para você: 4 estratégias para alinhar pessoas, processos e tecnologia que utilizamos para cumprir os objetivos de marketing aqui na WCK)

Não penso que seja possível se precaver de todas as dificuldades que envolvem a execução de um projeto e o alcance de um resultado, mas se debruçar de maneira cuidadosa e detalhada sobre um objetivo costuma tornar o trabalho pós-elaboração mais fluído.

O ponto de atenção aqui é não deixar que isso te paralise, ser cuidadoso e atencioso não é imaginar que existe uma versão perfeita deste planejamento e que as ações só poderão ser tomadas quando essa obra prima incrível sair da cabeça para o papel.

O importante é entender as potencialidades e as limitações e não se deixar paralisar, não importa qual seja o resultado dessa equação.

Avalie nosso artigo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
2 voto(s)
Carregando...

Leave a Reply

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o