Os principais desafios de um Gerente de Marketing: qual é o seu?

Os principais desafios de um Gerente de Marketing: qual é o seu?

  • 5
  • 20 de março de 2017

Poucas profissões enfrentaram tantas mudanças nos últimos anos quanto a do Gerente de Marketing. E muito disso teve a ver com a grande transformação digital pela qual o mundo dos negócios vem passando.

Ferramentas e processos habilitados digitalmente alteraram o quê e como uma empresa vende, transformaram o relacionamento com o consumidor, introduziram novos canais de comunicação e tornaram ainda mais complexos os ciclo de vendas. Tudo mudou, principalmente o cliente, o foco de todas ações.

Agora, os gestores também são julgados sobre o quão bem podem projetar, estruturar e executar uma área que atinge toda a organização e que é cobrada cada vez mais pelos resultados que influenciam nos negócios da empresa, e pela visão estratégica com a qual conseguem planejar suas ações.

Hoje, não importa quantos emails você envia e sim, o impacto que cada campanha gera no faturamento.

Com tantas mudanças, muitos profissionais se encontram perdidos sem saber qual caminho tomar para ter uma melhor performance e aumentar o desempenho da sua área, se tornando verdadeiramente estratégicos dentro de uma empresa.

Se você se identifica com essa realidade, esse conteúdo é para você! Separamos 5 dos principais desafios que os Gerentes de Marketing enfrentam hoje e reflexões que vão ajudá-lo a superá-los.

  • Comprovar o famoso ROI (retorno sobre investimento)

De acordo com um relatório publicado pela Hubspot sobre as tendências do marketing mundial em 2016, 43% das empresas acreditam que comprovar o ROI é o grande desafio da área. E o que pode dificultar essa comprovação é justamente a falta de conhecimento histórico das suas ações e falta de planejamento. Mas essa é uma análise que precisa ser feita, já que a premissa hoje é: sem ROI, sem orçamento.

O ROI é o seu principal aliado para conseguir mais e melhores investimentos e melhor valor dentro da sua empresa, Com esses números, você vai conseguir provar que o marketing digital é um investimento, e não um custo.

Nenhuma empresa investirá em ações que não tragam resultados comprovados e metrificados. O McDonald’s, dono de uma das contas publicitárias mais tradicionais do mundo, contratou uma agência que será remunerada 100% baseada em performance, um sinal claro de que é preciso se adaptar a essa realidade.

  • Aprender a focar no consumidor, não no produto

Uma pesquisa da Adobe mostrou que apenas um em cada cinco profissionais de marketing enxerga a experiência do consumidor como a oportunidade mais valiosa para seus negócios em 2017. Ou seja, ainda é extremamente comum encontrarmos empresas preocupadas só em divulgar seus produtos e serviços, sem pensar na entrega de valor que está sendo feita para os seus clientes.

O consumidor é a chave para uma estratégia de sucesso. Quando você constrói um relacionamento com o seu cliente, ou até mesmo quando você orienta a sua estratégia ao cliente e não a si próprio, você também abre a porta para mais oportunidades de negócios, já que uma experiência de conexão pessoal deixa uma impressão duradoura (e positiva) sobre a sua organização.

Isso quer dizer que você deve deixar seu produto para lá? Não! Significa que tem que pensar em como se tornar necessário para o seu cliente, oferecendo o que precisa, sem ele ter que pedir. Estar sempre um passo a frente. A Starbucks foi uma organização que conseguiu se diferenciar pela experiência que oferecia ao seu cliente, e não pelo produto.

  • Deixar o operacional um pouco de lado e focar no estratégico

(Ou criar um balanço/equilíbrio melhor entre os dois perfis)

A miopia diante dos movimentos do mercado e a vulnerabilidade frente a crises são duas características marcantes de Gestores que não conseguem dedicar tempo para exercitar um pensamento estratégico e analítico.

Claro, em algum momento talvez seja necessário que você exerça um papel operacional, mas quando a maior parte da sua rotina é ocupada por apagar incêndios, você perde em competitividade e produtividade, além de não desenvolver uma melhor inteligência de negócios, o que reflete diretamente nos números da sua área.

Como falamos no nosso conteúdo “Você é o Gerente ou o Bombeiro do Marketing?“, a mudança precisa começar de você. Não espere que a Diretoria da sua empresa identifique que você está atarefado e mude os seus processos para desafoga-lo. Tome iniciativa e corra atrás do seu desenvolvimento. Separe um tempo e religiosamente se dedique ao seu aprimoramento.

  • Identificar as ferramentas ou parceiros certos para a sua necessidade

Ter que aprender novas tecnologias e escolher ferramentas e ações inovadoras de forma inteligente para a sua área, ao mesmo tempo em que precisa avaliar a hora de certa de contar um parceiro estratégico, também vêm se configurando como decisões importantes que precisam ser tomadas, mas que nem por isso são fáceis e simples.

O mundo digital traz mudanças que nunca param. O perfil do consumidor está mudando na direção do uso cada vez mais frequente da internet para a tomada de decisão, processos mais longos de pesquisa e procura por resultados. Mas as informações que ajudam nessa escolha ainda são fragmentadas e estão espalhadas por um mercado inchado de opções. O cenário perfeito para confusão, mas que tem solução (sempre tem solução, tenha isso em mente!).

Para determinar se você precisa de mais ferramentas ou de um parceiro, é preciso identificar suas capacidade centrais, o conjunto de atividades diferenciais que você tem em relação a concorrência, avaliar e comparar possíveis fontes de desperdício, falta de habilidade ou investimento de recursos necessário, entre outros pontos.

Temos um outro conteúdo que pode te ajudar a tomar a decisão que vai deixar esse desafio de lado: Estratégia de Marketing Digital: você precisa de ferramentas ou de inteligência empresarial?

  • As implicações de uma transformação digital

Começamos esse texto falando sobre transformação digital, então é essencial abordar melhor essa questão.

Profissionais e empresas com menor grau de maturidade digital ainda tratam suas iniciativas e estratégias dessa área como objetivos adicionais ou separados do negócio principal. Então é mais do que comum encontrarem problemas por não terem outras áreas da empresa (ou mesmo colaboradores) preparadas para atuar e suportar os modelos digitais. São essas as empresas também que afirmam que o digital é uma tendência, e não uma necessidade.

Em nossos conteúdos, temos abordado bastante a questão de que ser digital não é ser tecnológico (e nesse blog post, temos uma reflexão profunda e necessária para todo líder). Vivemos em uma era de dados que precisam ser transformados em conhecimento para que façam sentido. É preciso olhar para o mundo digital e ver que nele está o seu próximo passo: a grande quantidade de opções tecnológicas e o volume de dados gerados criam complexidade, mas também geram oportunidades.

E é somente construindo, sustentando e reforçando uma cultura digital que você pode resolver os problemas organizacionais que emergirão da transformação para o mundo digital e conseguirá uma melhor posição estratégica, fortalecendo o seu negócio perenemente.

Se você está pronto para dar um passo assertivo em favor do digital, sugerimos fortemente que dê uma lida no nosso blog post: Porque a governança corporativa implica o sucesso da transformação digital?

Como ser um Gerente de Marketing livre de entraves, pronto para crescer

Não há uma resposta simples ou uma fórmula mágica para se tornar um Gerente de Marketing livre de desafios, com visão estratégica e inteligência empresarial, perfil analítico e voltado para resultados, pronto para as movimentações e mudanças digitais, e que, sobretudo, cante, dance e sapateie 😉

Na verdade, são os desafios que nos movem em busca de maior conhecimento e desenvolvimento. Mas você pode investir em alguns pontos importantes para uma melhor performance profissional:

  • Entender a fundo o seu papel e o que pode fazer para ter maior valor profissional dentro da empresa;
  • Questionar-se como melhor se conectar com seus clientes, colaboradores e parceiros;
  • Criar uma equipe preparada para mapear como os seus clientes coletam informações e tomam decisões de compra;
  • Estimular o engajamento da empresa em diversos canais (tanto para o público externo quanto o interno);
  • Conectar todos os seus produtos e soluções em torno de um mesmo objetivo;
  • Estar confortável com suas métricas e objetivos e com olho centrado na receita e seus gastos;
  • Não ter medo de inovar e experimentar novas ações;
  • Trabalhar em conexão com a equipe de vendas para gerar resultados;
  • Entender o big data e como reverter dados em inteligência;
  • Estar em constante movimento para aprender e evoluir.

Pode não ser fácil, mas tenha certeza de que o caminho é sempre ascendente. E você sempre será o maior beneficiado. Então a pergunta que deixamos é: o que você está fazendo para ser um profissional melhor?

Leave a Reply

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o