Qual o papel do seu site para sua empresa? Uma reflexão através do Growth Driven Design

Qual o papel do seu site para sua empresa? Uma reflexão através do Growth Driven Design

  • 2
  • 24 de julho de 2017

Ultimamente o termo transformação digital tem ganhado cada vez mais destaque dentro das empresas, inclusive viemos falando bastante sobre ele aqui em nosso blog.

Em linhas gerais, a transformação digital não trata-se de como uma empresa faz uso das mais altas tecnologias existentes no mercado, e sim, está mais relacionada a modelos de negócios que deixaram de ser intocáveis, ou seja, modelos de negócio passam a ser atualizados constantemente.

Muitas vezes essa discussão é liderada pelo boarding da empresa, outras vezes é o marketing quem puxa; também pode ser comum encontrar casos em que o RH faz esse papel de trazer o tema para a mesa.

Na verdade o mais importante é que isso seja cascateado para todas as outras áreas, e seguindo essa linha, é também um processo natural que este pensamento digital chegue até o site da empresa, afinal, ele tem o papel – ou ao menos deveria ter – de transmitir para o mundo quem é sua empresa, quais são seus conceitos, no que ela acredita, qual o seu manifesto e tantos outros pontos que contribuem para como você quer se apresentar às pessoas.

Conceitos como Big Data, Cloud Computing, Data-Driven, Machine Learning, IoT (Internet of Things), entre outros, foram nascendo juntamente com essa evolução das tecnologias e a necessidade de mudança de comportamento/mentalidade por parte das empresas, resultando em produtos e serviços de mais qualidade ofertados por elas.

Portanto, peço que você se faça as seguintes perguntas:

  • Você sabe quem são as pessoas que acessam o seu site?
    • A. Sim, tenho personas definidas e todo o site é desenhado para elas.
    • B. Não, tenho algumas informações sobre elas, mas o site tenta conversar com qualquer pessoa.
  • Seu site tem um objetivo claro?
    • A. Sim, e este objetivo é sempre revisto e atualizado constantemente.
    • B. Não, acredito que o site serve apenas para apresentar minha empresa.
  • O que motiva uma mudança em seu site?
    • A. A partir de análises do comportamento do usuário.
    • B. Quando surge alguma novidade na empresa, inserimos no site.

Se para a maioria das perguntas acima você respondeu a letra A, parabéns! Isso quer dizer que o seu site tem grandes chances de ser uma importante ferramenta de geração de negócios para a sua empresa.

Agora se a maioria das suas respostas foram B, sinto lhe dizer que seu site não está sendo explorado da melhor maneira e você está perdendo uma grande oportunidade. Então, aconselho que continue lendo o artigo para entender como você pode mudar esse cenário.

O que é o Growth Driven Design (o famoso GDD)?

Eu defendo que o Growth Driven Design – ou GDD para os mais íntimos – não se trata apenas de uma melhoria no processo de construção de um site, mas sim uma nova necessidade estratégica para qualquer empresa. Ele é uma metodologia ágil de desenvolvimento que tem como premissa a rápida publicação e a constante evolução de um site.

Construir ou atualizar um site através do GDD é estudar e entender o que é crucial para atingir o seu usuário. Em termos práticos, o site é lançado em um espaço de tempo muito menor se comparado ao modelo de lançamento tradicional; isso ocorre porque é priorizada a construção das funcionalidades imprescindíveis e que mais entregam valor à sua persona.

É uma ótima alternativa para quem quer começar a gerar os primeiros leads em um curto espaço de tempo; enquanto tem um site beta funcionando, sem perder tempo, nos bastidores está trabalhando em novas atualizações com base no comportamento das pessoas que já estão utilizando o site.

E este passa a ser o ciclo infinito do seu site e tudo o que é feito nele: novas páginas, funções, ferramentas e até mudanças minuciosas são baseadas em dados concretos e de forma rápida e não mais no escuro e prolongado, isso tudo resulta em um site que atende as necessidades dos seus clientes. Com otimizações constantes orientadas ao aumento de conversões e geração de leads para o seu negócio, você tem um projeto que está direcionado a um crescimento constante.

GDD: O foco está sempre nos resultados

Os princípios do GDD são a redução de custo, o aprimoramento contínuo e a geração de insights. Essa tríade forma uma base extremamente sólida para seu planejamento e orienta a uma estratégia onde seu site tem grandes chances de performar de maneira magnífica.

  • Redução de custo: Comparando novamente ao modelo tradicional de construção de um site, um projeto GDD leva muito menos tempo para ir ao ar. Isso de dá pelo fato dele ser trabalhado em ciclos de desenvolvimento curtos. Para se ter ideia, em alguns dias já se pode ter um MVP (mínimo produto viável) gerando leads para a sua empresa.Assim, os riscos de fazer um alto investimento em um site que não se sabe – pelo menos inicialmente – quais resultados e quando eles virão diminui, pois a cada novo ciclo são feitas otimizações de acordo com os dados analisados, detectando e corrigindo possíveis falhas imediatamente.
  • Aprimoramento contínuo: O aprimoramento vem novamente com a prática de analisar o comportamento do usuário e tomar atitudes a partir disso. Para isso, contamos com o auxílio de ferramentas que nos trazem agilidade, escala e produtividade. Com o site no ar, orientado por uma estratégia inteligente, é possível monitorar e observar tudo o que acontece. Também é possível analisar somente aquilo que interessa e é relevante.
    • Google Analytics: Através de ferramentas como o Analytics podemos extrair diversas métricas do site, como saber quantas visitas seu site/página está tendo, bem como sua origem; entender o que está gerando conversão; e até quanto tempo o usuário passa em seu site.
    • Hotjar: O propósito do Hotjar é coletar feedback dos usuários. Com ele é possível analisarmos através de mapas de calor como o usuário utiliza o seu site, perfeito para gerar hipóteses, como por exemplo, encontrar as áreas mais nobres do site, aquelas onde as pessoas mais passam tempo (e/ou o mouse) e podem não estar convertendo. Outras ótimas funções que o Hotjar tem: ferramenta para coletar feedback/opinião, outra que cria uma espécie de votação e até uma que grava a sessão dos usuários.
    • RD Station: Hoje em dia ter um software de automação de marketing é imprescindível para qualquer empresa que deseja integrar toda a sua estratégia em uma plataforma que entrega inteligência de negócio. Com o RD Station é possível criar e-mails marketing, landing pages, social posts, CTAs, popups e muito mais. E o melhor é que tudo isso pode ser analisado cirurgicamente dentro da ferramenta com a possibilidade de fazer testes A/B.

    Com essas ferramentas, abre-se espaço para trabalhar em melhorias e novas funcionalidades com segurança e fundamento, isso tudo ao mesmo tempo que ações bem planejadas são realizadas e dão o pontapé inicial na sua nova máquina de leads.

  • Geração de insights: A partir do momento que você passa a analisar e entender como o usuário se comporta em seu site, nascem diversas hipóteses de elementos que podem ser melhorados. Ou seja, a própria construção do site passa a ser uma fonte rica de insights que deixam claro quais são as prioridades, o que mais está ou vai gerar valor ao usuário.

    Sem contar a cultura de growth hacking que acaba contagiando diretamente a equipe responsável por um projeto GDD de um site, hipóteses sendo geradas, sendo transformadas em workflows que são executados e analisados para posteriormente serem traduzidos em respostas.

* Só uma dica: com tantas informações sendo geradas pelos usuários é preciso ter um cuidado para saber filtrar e focar apenas naquilo que é realmente relevante para o seu site/negócio.

GDD x Modelo tradicional

O maior diferencial do GDD com relação ao método de desenvolvimento tradicional é a sua sustentação no data-driven na hora de planejar, desenvolver e lançar um novo site ou até mesmo um redesenho.

Diferentemente dos processos tradicionais de web design, que geralmente tem um custo inicial mais alto, tempo de finalização prolongado e que não está sujeito a testes por parte dos usuários em seu desenvolvimento, um site growth-driven pode ir ao ar em pouquíssimo tempo e lapidado sob um sistema de ciclos constantes de análise e otimização.
Comparação entre GDD e Modelo tradicional:

GDDModelo tradicional
Investimento inicialBaixo Alto
AtualizaçõesSemanaisde 2 a 6 meses
Otimização baseada emAnálise de dadosHipóteses e palpites
Vida útil Não existe (Constantemente atualizado)2 a 3 anos (em média)

Como o marketing pode se beneficiar do GDD

Conseguir encontrar um padrão de comportamento dos seus clientes, usuários e/ou leads é talvez o grande trunfo do GDD para o departamento de marketing. Descobrir do que as pessoas estão gostando, do que não estão e ter insumos do que é realmente relevante para ela é uma forma de impulsionar as suas estratégias e ações direcionadas à resultados e, consequentemente, faturamento.

Todos os insights que são gerados pelo site não servem apenas para orientar os próximos passos – em termos de mudanças – da plataforma, mas também são uma rica fonte de informações sobre quem está lidando diretamente com sua empresa. Ou seja, são dados que irão colaborar na construção e atualização de suas personas, planejamento, jornada de compra e por aí vai.

Como você pôde ver, existem desvantagens significativas associadas ao processo tradicional de construção de um site. Na verdade, esta abordagem já está obsoleta, tem uma série de riscos e um grande potencial de fazer sua empresa perder oportunidades.

Me conte nos comentários, você tem um site que realmente funciona como uma importante ferramenta estratégica para o seu negócio?

Avalie nosso artigo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
3 voto(s)
Carregando...

Leave a Reply

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o