Os primeiros passos para embrenhar-se no Inbound Marketing

Os primeiros passos para embrenhar-se no Inbound Marketing

  • 1
  • 26 de agosto de 2016

Os números em 2016 não são bons. Depois da retração de 2015 –  a mais alta nos últimos 25 anos – esse ano não parece que será diferente. A população está sentindo no bolso e a queda do PIB per capita pode atingir 10% em 2 anos. Mas esse post não é sobre isso (mas esse é: 6 cuidados que você deve ter em tempos de crise. Vale a leitura).

É sobre como a crise traz mudanças.  Em 2008, os EUA passaram pela pior crise da sua história. E foi quando a pressão financeira forçou as empresas a investirem em ideias novas. Em 2001, nos primórdios da crise americana, as empresas começaram a mexer nos orçamentos de marketing e publicidade e a investir em ações de marketing digital.

Era mais mensurável e direcionado para o público que se queria atingir, por isso, mais atraente para os empresários com orçamentos apertados. Agora, na pior crise da história brasileira, está acontecendo um movimento semelhante.

À medida que entramos numa recessão, as empresas estão buscando novamente eficiência. Em vez de investir dinheiro em publicidade de pesquisa paga, as empresas agora buscam otimização, conteúdo e mídia social para serem encontradas em resultados de busca orgânica. Estas mudanças estão lançando as bases para uma nova era de marketing na web – a era Inbound Marketing.

E é sobre isso que vamos falar nesse post. Sobre os princípios de Inbound para conteúdos e como utilizá-los na prática. Continue lendo.

O que é Inbound Marketing?

No marketing tradicional (marketing de saída), as empresas se concentram em encontrar os clientes através de técnicas chamadas de interrupção, como publicidade impressa ou na televisão, ligações de telemarketing ou spam. Acontece que o comportamento das pessoas mudou.  Elas possuem a liberdade de ignorar aquilo que não as interessa mais: 86% não assistem mais os anúncios de TV, 44% dos chamados e-mail de massa não são abertos, 200 mil contatos telefônicos são classificados como “sem resposta”.

O Inbound Marketing consiste em atrair os clientes dando algo que eles valorizem. É uma abordagem holística, baseada em informações e pesquisa sobre o seu público-alvo para atraí-los e transformá-los em clientes fiéis em longo prazo.  Em outras palavras, o Inbound oferece conteúdo de qualidade, relevante e focado no que seu cliente quer.  É uma prática que não requer um orçamento grande e que gera um ativo permanente para a empresa.

Separamos os três principais elementos de uma campanha de Inbound como um passo a passo para iniciar. Investir no Inbound não demanda muito dinheiro, mas requer tempo e dedicação. Vamos a eles:

Os primeiros passos para traçar uma estratégia de Inbound Marketing

1) Crie as suas personas

No nível mais básico, o desenvolvimento de personas permite a você criar conteúdo e mensagens que agradam a seu público-alvo. Elas também permitem que você direcione ou personalize o seu marketing para diferentes segmentos do seu público. Por exemplo, em vez de enviar a mesma mensagem para todo o seu banco de dados, você pode segmentar por persona e adequar suas mensagens de acordo com o que você sabe sobre elas.

Além disso, quando levamos em consideração a fase dentro do ciclo de vida (ou seja, em que etapa da jornada de compra o público se encontra), as personas também permitem mapear e criar conteúdo altamente segmentado.

2) Identifique qual tipo de conteúdo sua persona mais gosta

As empresas bem sucedidas no marketing de conteúdo usam uma ampla variedade de abordagens de conteúdo – uma média de 15 diferentes, de acordo com Instituto de Marketing de Conteúdo.

Você pode – e deve – experimentar formatos diferentes, mas escolha um para se concentrar.

O seu público e nicho particular irá gravitar para um determinado tipo de conteúdo – e este precisa ser o foco de seus esforços. Vamos cavar um pouco mais em alguns dos tipos mais comuns onde você pode encontrar o seu nicho:

Blog. É recomendável que todas as empresas usem esta variedade de conteúdo, mas para algumas, o blog vai decolar e se tornar sua principal fonte de leads qualificados (se o blog é o seu nicho, certifique-se que você está otimizando seus posts para pesquisa) O melhor jeito de começar um blog é utilizando uma plataforma como o WordPress ou o Joomla.

Visuais. Adicionar infográficos e acrescentar um forte impulso visual em seu conteúdo também é importante, dependendo do seu público. Uma marca como a GoPro tem um forte elemento visual, e eles têm quase 3 milhões de seguidores no Instagram. Vai entender – eles estão vendendo câmeras!

E-mail: Alguns especialistas de conteúdo estão focados em e-mail. Personal Finance Advisor e Empreendedor Ramit Sethi, por exemplo, geram enormes quantidades de receitas através do engajamento com seus clientes da lista de e-mail. Em vez dos usuários comentarem sobre artigos do blog, eles simplesmente respondem a seus e-mails como uma forma de interação. Para Sethi, este método é perfeito. Uma forma de gerenciar seus e-mails é utilizar o MailChimp.

Webinar: O método webinar não funciona para todos, mas algumas empresas obtém uma enorme quantidade de valor a partir dele.

Mídia social: Nem toda empresa tem um blog ou um boletim de notícias, mas ter um perfil em pelo menos uma rede social é obrigatório. Algumas empresas encontram o seu público-alvo no Twitter ou no Google+. Encontre a sua.

Vídeo. Os vídeos não são fáceis de fazer e eles podem exigir um pouco mais investimento de tempo e recursos. Mas quando são bons, eles são matadores.

Áudio. O ponto alto do podcasts já pode ter atingido o pico, mas esta forma de conteúdo ainda está viva e bem. Um site orientado a conteúdo, BiggerPockets, atende a profissionais do setor imobiliário – os tipos que passam muito tempo em seus carros de condução em torno de propriedades. Eles possuem um dos podcasts mais populares no iTunes.

Para descobrir qual o tipo de conteúdo que você deve focar, mantenha estas questões em mente:

  • Quais são as suas personas que procuram no Google?
  • Qual é a intenção por trás dessas pesquisas?
  • Quais os problemas que eles estão tentando resolver?
  • Que tipo de conteúdo os faria parar, clicar e consumir?

Lembre-se, o público que decide qual o tipo de conteúdo que você deve produzir. Você pode ter uma preferência por um tipo de conteúdo em detrimento de outro, mas você não é o seu público-alvo. Permita que seus consumidores escolham quais são os melhores canais para eles.

3) Invista na automação de marketing

A automação de marketing é a automatização de processos, como:

  • Agendamento de posts em mídias sociais;
  • Alimentação de base de e-mails;
  • Seguir de volta nas redes sociais, etc.

Automatizar as suas ações de marketing de conteúdo é entender e agir de forma personalizada e escalável com o seu público. E com aquelas pessoas que interagem com a sua marca através dos mais variados canais de comunicação que você oferece a elas (como os citados acima).

A automação auxilia no entendimento dos objetivos e interesses dos leads (potenciais clientes) para, em um segundo momento, direcionar as informações como seu lugar no funil de vendas e oferecer o que ele precisa para se tornar o seu cliente.

De acordo com a Hubspot, ferramenta americana de automação de marketing, é fundamental ter a consciência de que a automação de marketing não faz milagres sozinha. Você terá que arregaçar as mangas e fazer o marketing e geração de leads, mas investir em um software que te ajude a nutrir seus leads pode potencializar os seus resultados.

Você já começou a traçar sua estratégia de Inbound Marketing? Conte como tem sido a experiência através dos comentários!

Que tal ser o primeiro a avaliar este artigo?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
Carregando...

Leave a Reply

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o