Métricas de Vaidade X Métricas de Negócios: 4 passos para medir melhor seus resultados

Métricas de Vaidade X Métricas de Negócios: 4 passos para medir melhor seus resultados

  • 0
  • 21 de abril de 2015

Muita gente se impressiona com alguns números como seguidores no Twitter, pessoas que curtiram no Facebook, visualizações no Youtube, aumento de visitas ao site, etc. Esse tipo de métrica, chamada de métrica de vaidade, costuma fazer muito bem para o ego. A equipe de marketing ganha crédito e admiração na empresa e tudo parece perfeito. Falta, no entanto, um ponto essencial: quanto isso contribui para as vendas? Afinal, vender é a única atividade que traz dinheiro para dentro da empresa, todo o resto é despesa.

O que as empresas precisam mesmo analisar é quantas dessas pessoas se tornaram clientes. Uma base grande de seguidores no Twitter não quer dizer que todas essas pessoas de fato leem e acessam o conteúdo publicado. Menos ainda que elas se tornam clientes depois disso. Claro que no geral é bom ter uma grande audiência, mas o objetivo da sua empresa não é falar para um grande número de pessoas e sim vender e ter clientes. Se suas ações não estiverem levando a esse caminho, de nada servem. Por isso preparamos alguns passos para mostrar como medir melhor seus resultados:

Métricas de negócio

O mais importante são as métricas do seu funil de vendas, porque é através delas que você mede quantos leads foram convertidos em clientes. Essas são as métricas de negócio: às que levam ao lucro da empresa. Você pode começar analisando quantos do seus visitantes passam para segunda parte do funil e se transformam em leads.

As ações mais comuns de marketing digital, como produção de conteúdo em blog, Google Adwords, Facebook Ads, etc., geralmente têm um impacto maior na métrica de visitantes únicos no mês. Esse é um número que se espera que cresça todo mês, a não ser quando se faz reduções de campanhas que não estão sendo efetivas. Se o número de visitantes cresce, é de se esperar que o número de leads gerados acompanhe esse crescimento. Se essa não é a relação, avalie quais podem ser as causas, por exemplo:

  • Às vezes, a equipe comercial não foi treinada para tratar corretamente um número maior de leads, ou então teve uma baixa de produtividade;
  • Uma quantidade maior de leads não significa que são leads prontos para comprar;
  • Dependendo do tipo de negócio, o ciclo de vendas é mais longo do que um mês e a sua análise precisa ser a longo prazo.

Não existe regra, mas em geral, se determinada parte do funil tem taxa de conversão menor do que 5%, há grande potencial de melhorias ali. Links, busca orgânica, tráfego direto, links patrocinados, etc. atraem visitantes para o site, mas não adianta nada uma fonte de tráfego trazer muitos visitantes se eles não se tornam leads. Por isso, é fundamental entender quais fontes de tráfego convertem mais. O que você precisa questionar em cada uma das suas estratégias:

  1. Número de visitas: Quantos visitantes cada uma das fontes de tráfego atrai e qual a taxa de conversão para leads e clientes Quais fontes possuem boa taxa de conversão? Elas já são exploradas ao máximo ou é possível investir mais? Quais fontes de tráfego trazem bastante visitantes, mas não tantos leads? E o contrário? O retorno de cada fonte é proporcional ao investimento (de tempo ou dinheiro)?
  2. Palavras-chave: O site recebe tráfego para as palavras-chave que gostaria? Quais são as palavras que melhor convertem? A empresa já está nas primeiras posições para essas palavras ou é possível se posicionar melhor, recebendo mais acessos? Há alguma palavra que converta muito bem? Vale a pena aumentar o preço do clique ou o orçamento para receber mais acessos?
  3. O funcionamento do site: Quais são as páginas mais acessadas do seu site? Que tipos de conteúdo têm chamado mais atenção dos visitantes? O design é responsivo e de acordo com as tendências do mercado? A sua empresa tem calls-to-action suficientes para que os visitantes realizem a ação que você deseja?
  4. E-mail marketing: Há um bom número de assinantes na lista de e-mail? Qual a taxa de abertura e de cadastramento a cada campanha? As campanhas são efetivas em termos de conversão?

Qual outra métrica você utiliza para analisar a sua estratégia de marketing? Compartilhe nos comentários!

 

 

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o