Estratégia para Redes sociais: como não atuar em 2017

Estratégia para Redes sociais: como não atuar em 2017

  • 2
  • 27 de abril de 2017

Veja como aproveitar ao máximo as oportunidades trazidas por esses canais e levar resultados para sua empresa com uma estratégia para redes sociais

Dados recentes afirmam que 4.2 bilhões de pessoas acessam as redes sociais pelo menos uma vez ao mês ao redor do mundo. Compare esse número à quantidade da população mundial que hoje é de aproximadamente 7.5 bilhões, segundo o WorldoMeters. Olhando para esses números podemos concluir facilmente que, pelo menos, metade da população está nas redes sociais e usa esses canais com uma certa frequência.

Frente à esse cenário não resta dúvida: as redes sociais se tornaram um importante canal de comunicação entre as pessoas e, consequentemente, para as marcas também. Dentro desses ambientes, as empresas conseguem divulgar seus produtos, tirar dúvidas, atender reclamações e interagir com seus clientes e possíveis clientes de uma forma mais próxima.

Por isso, em 2017 poucas empresas devem estar se perguntando se devem realmente participar das redes sociais e já têm perfis ativos e táticas já planejadas. Mas, sendo uma estratégia relativamente recente nas áreas de marketing, muitos profissionais ainda têm dúvida sobre o que fazer ou não fazer em social media.

Para te ajudar a tirar o máximo das oportunidades trazidas por esses canais e levar resultados para sua empresa, separamos abaixo algumas dicas sobre como não atuar nas redes sociais.

Replicar conteúdos para todas as redes sociais

A estratégia de criar um tipo de conteúdo e somente replicar para todas as redes sociais já não funciona mais. Hoje, os usuários buscam um tipo de experiência em cada canal social, por exemplo, no Instagram eles esperam ver imagens cativantes e no Twitter eles querem conteúdos curtos e sobre assuntos que estão em alta.

Além de perfis diferentes, as redes sociais também têm padrões e diretrizes únicas, como tamanho de imagem e formato de vídeo. Por isso, os profissionais de marketing devem estar atentos a essas definições para atender as especificações de cada canal.

Antes de pensar em uma estratégia de conteúdo, leve essas informações em consideração e construa um plano para cada rede social. Você ainda pode falar sobre o mesmo tema em todas elas, mas usando abordagens diferentes pode ter mais chance de chamar a atenção do seu consumidor no canal que ele estiver navegando.

Não levar em consideração o mobile

Um pesquisa revelou que em 2017 é esperado que 75% do tráfego da internet seja feito via dispositivos móveis. Pensando que os usuários estão cada vez mais usando esses dispositivos para navegar na internet, trocar mensagens e acessar as redes sociais também precisamos pensar cada vez mais em formatos que se adaptem à essa experiência.

Postar imagens mais verticais, testar ações de check-in em pessoas que forem à sua loja física e usar conteúdos efêmeros (snaps do Snapchat e stories do Instagram) podem ser algumas das ações que a sua marca pode testar. Mas lembre-se que se o seu objetivo é levar o usuário a uma página fora da rede social, como seu blog, página de produto ou carrinho de compra, também é essencial que essa página esteja adaptada para o mobile. Desta forma, você garantirá uma experiência completa com o consumidor em qualquer dispositivo.

Não dar atenção às críticas

Nós sabemos que nas redes sociais os consumidores passaram a ser mais ativos e a compartilhar experiências suas experiências com as marcas, sejam elas boas ou ruins. E a sua marca, seja grande ou pequena, pode não estar imune à isso. Diante disso, é importante estar sempre atento às mensagens em torno da sua marca e pronto para respondê-las.

Quando a sua marca atua rapidamente em cima de uma crise, já respondendo a um consumidor insatisfeito, ela minimiza os riscos de uma publicação se tornar uma crise e prejudicar a sua imagem. Para te ajudar a prevenir essas situações, você pode contar com a ajuda de ferramentas de monitoramento que te permitem acompanhar os detratores da sua marca mais de perto, identificar situações críticas e responder rapidamente  mensagens negativas sobre a sua marca.

Não apostar no ao vivo

A maior tendência para 2017 nas redes sociais certamente são os vídeos ao vivo. O vídeo já tinha despontado como um tipo de conteúdo muito poderoso para as empresas trabalharem em social, mas o live trouxe uma maior proximidade entre marcas e consumidores, já que é uma interação mais autêntica e em tempo real. Não à toa, o Facebook revelou que as pessoas costumam comentar 10x mais em vídeos ao vivo do que em vídeos gravados.

Mas, muitas marcas ainda têm receio de investir no livestreaming por acharem que esse tipo de conteúdo gera mais riscos. Para diminuir esse problema, você pode fazer um planejamento prévio do que acontecerá durante a live e ir fazendo pequenos testes para ver com a sua audiência responde a esse tipo de conteúdo.

* Dicas finais

Você acabou de ver algumas pontos importantes para levar em consideração na hora de criar sua estratégia de redes sociais ou até ajustar alguns detalhes na estratégia que já está rodando. Mas, como o social é um espaço muito dinâmico com diferentes perfis, faixas etárias, gostos e necessidades, é arriscado generalizar regras sobre o que fazer e o que não fazer  nesses canais.

O que os profissionais que lidam com social precisam ter como foco principal é o público que eles desejam atingir. Com isso em mente, essas tendências e novidades, serão apenas algumas das muitas ferramentas que a sua marca utilizará para chamar a atenção da audiência e se conectar com os usuários de uma forma diferenciada.

Sprinklr Brasil

Conteúdo escrito pela Thayane Veiga.

Relações Públicas que atua com conteúdo e comunicação na Sprinklr Brasil.

Prinklr cria tecnologias sociais que empoderam grandes companhias a criar experiências significativas com seus clientes.

Leave a Reply

Deixe seu comentário abaixo

[contact-form-7 id="14318" title="Fale com a Lilian Rios (Fim de Post)"]
Lilian Rios

Fale com a Lilian Rios

Especialista Inbound Marketing

o